Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

mini-saia

O blog de Mónica Lice.

25
Out18

Pasta Gamberi "à Mónica"

Mónica Lice

pasta3.jpg

 

Entro na cozinha, encosto a porta, música no telemóvel, ligada à coluna, panela ao lume e lá vamos nós.

 

Enquanto a água ferve, descasco os alhos. Uso-os tanto que nem sei - tenho sempre um carregamento de alhos no armário (e, sempre que possível, trago-os da terra - biológicos, grandes e realmente saborosos).

 

Numa frigideira, coloco o azeite. Por cima os alhos, esmagados e ainda com casca, para preservar melhor o sabor. Enquanto o aroma se espalha pela cozinha, escolho a massa para colocar na panela e no prato.

 

A minha relação com massa começou na infância. Não que a comesse muito nessa altura, mas comi-a de vez em quando, e gostava mesmo muito.

 

Mas só mais tarde, no final da faculdade, e numa viagem que fiz sozinha até Florença, para visitar uma amiga em Erasmus, travei contacto, mais pessoal e profundo, com a massa, no local onde atualmente mais é consumida: Itália.

 

Aí, comecei a dar todo um novo valor a este alimento, a perceber como "casa" na perfeição com o parmesão, a apreciar o toque do azeite trufado sobre uma massa acaba de cozer, e escorrida logo, para não ficar demasiado mole, a adorar o casamento dos oregãos com o azeite e o queijo, sobre a pasta...

 

Fechado o parentesis, voltamos à minha cozinha. A massa já está escolhida - os macarronetes grandes são a minha escolha e nunca me deixam ficar mal. Coloco-os na água ligeiramente salgada, que já ferve, enquanto aproveito o vapor da cozedura para cozer uns brócolos, que também usarei no prato. 

 

Massa mexida, e é hora de voltar à frigideira - que esteve sempre debaixo de olho e em lume brando, para o alho não queimar. Alho ligeiramente cozinhado e dourado, junta-se o tomate cereja, partido, bem maduro e de época, se possível (eu costumo congelá-lo no verão para conseguir ir usando no inverno, e funciona na perfeição!).

 pasta2.jpg

 

Coloco apenas alguns tomates - o suficiente para dar um gosto especial ao azeite, bem como um toque avermelhado à mistura (mas sem exageros). Ah, e começo a adicionar os temperos, juntando uma pitada de oregãos secos.

 

Tomate desfeito e perfeitamente fundido com o azeite, hora de juntar o camarão, já cozido e descascado, que vai absorver os sucos do alho e do tomate.

 

Enquanto vou mexendo, para evitar que o camarão queime, coloco ainda alguns cogumelos Portobello frescos (previamente limpos e cortados). A esta hora, já tenho companhia na cozinha - a Emília entrou e dou-lhe uma bolacha, enquanto a desafio a juntar-se à dança - sim, ela já dança, com 15 meses, e começa a querer cantarolar, para acompanhar a mana.

 

A massa, entretanto, já cozeu. Gosto dela "al dente", não demasiado cozinhada. E, para evitar que amoleça, escorro-a imediatamente após desligar o fogão.

 

Desligo a panela, e também a frigideira, onde cozinhei o camarão. Nela coloco os brócolos, já cozinhados, e partidos grosseiramente, e coloco a mistura sobre a massa, misturando tudo, de forma suave, para não esmagar os alimentos. 

 

Adiciono mais um fio de azeite, pimenta acabada de moer, um toque de flor de sal e mais umas folhas de orégão seco (se tiver fresco, tanto melhor). Mas ainda não está pronto! Falta o parmesão! O meu amigo parmesão, que não dispenso por nada, e que corto às lascas grossas, para ir trincando, meio amolecido, sobre a massa ainda a fumegar.

 

Coloco em pratos fundos, e já está... A música continua a tocar, mas agora numa versão mais calma e envolvente. É hora de saborear e partilhar...

 

pasta1.jpg

 

Siga outras viagens, por sabores e vivências, na Rota da Imaginação.

Acompanhe também as novidades no Facebook e no Instagram (@monicalice).

1 comentário

Comentar post

Sigam-me

No facebook

Escrevam-me:

Captura de ecrã - 2016-02-17, 12.17.17.png

aminisaia@gmail.com

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2006
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D