Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

mini-saia

O blog de Mónica Lice.

28
Mai18

6 locais pitorescos que tem que conhecer

Mónica Lice

Screen Shot 2018-05-27 at 23.52.38.png

 

Não é novidade por aqui que eu gosto muito de viajar. Tenho a sorte de já ter feito algumas viagens bem interessantes e de conhecer alguns pontos do globo.

 

Claro que ainda me falta conhecer MUITOS países e muitos recantos. Mas, enquanto isso não acontece, deixo-vos com algumas memórias de viagens a 6 locais pitorescos, que têm mesmo que conhecer!

 

Ilha de Gorée

Fica no Senegal, mesmo em frente a Dakar, e ficou conhecida no mundo por ser a "porta de saída" de muitos escravos, em direção às Américas.

O seu passado sombrio em nada combina com as cores do seu atual casario, bem colorido e acolhedor, que convida a passeios calmos.

Fui a esta ilha numa viagem que fiz a Dakar, desde Bissau (quando vivia em África). Fui com uma amiga e colega, a Ana, e apanhamos um ferry, que fazia a ligação na altura (presumo que ainda o faça e com maior conforto).

Na Ilha, aproveitamos uma visita guiada à antiga Casa dos Escravos e, honestamente, senti alguma tristeza, perante tudo o que fizeram os nossos antepassados naquele ponto de África... Sim, foram os portugueses a fundar aquele entreposto comercial, que tinha nos escravos a sua principal mercadoria...

À parte disso, o que é certo é que a imagem daquela porta sem saída, com vista para o mar, dificilmente me sairá da memória, assim como a imagem daquelas divisões, outrora celas, cheias de cargas energéticas pesadas.

Paralelamente, mas por outras razões, dificilmente me esquecerei das cores das casas e da acalmia que se sente na ilha. Até deu tempo para um mergulho, na praia, junto ao cais, antes do regresso a Dakar...

 

 

Chefchaouen

Já viajei por vários pontos de Marrocos (deserto incluído), mas esta cidade, mais a Norte, é, sem dúvida, aquela que mais me cativou no país, pela sua beleza. O casario pintado a azul destaca-se de tudo o resto, tornando cada ruela o cenário perfeito para fotos lindas de Instagram.

Se estiverem por esta zona do país, não deixem de visitar a cidade. O caminho para lá era, na altura, cheio de curvas e, por isso, fez-se devagar, com o trânsito que estava. Mas a verdade é que a viagem valeu muito a pena!

 

 

 

Mykonos

Das várias ilhas gregas onde estive, esta é aquela que mais me encantou. Mais do que as praias (que acabaram por ser uma decepção, foi a cidade que verdadeiramente me conquistou: as suas casas brancas, as flores e as ruelas estreitas tornam-na um verdadeiro deleite, para ser feito a pé e com calma.

Infelizmente, esta é também das ilhas gregas mais frequentadas no verão por turistas. Por isso, se for nesta altura, prepare-se para grandes multidões, muitos carros e, sobretudo, muitas motas.

 

 

Murano e Burano (Itália)

Quando fui pela primeira vez a Veneza, uma amiga recomendou-me que não perdesse, por nada, uma visita a Murano e Burano. Até à data, acreditam que nunca tinha ouvido falar destas ilhas?

Fomos de barco, numa mini excursão (é super fácil de encontrar várias excursões desde Veneza) e ficamos deliciados com as ilhas.

Mais uma vez, é o casario colorido que torna cada uma das ilhas especial. Isso e a acalmia que lá se sente, a contrastar com uma Veneza movimentada e (também) cheia de turistas.

 

 

 

Ajaccio (Córsega)

A Córsega é uma ilha francesa que fica, curiosamente, mais perto de Itália do que de França, sendo conhecida, entre outras coisas, por ser a terra natal de Napoleão.

A sua cidade principal, Ajaccio, foi uma agradável surpresa, e cativou-me pelas sua ruelas, pelo casario pitoresco e pela sua vista para o mar.

 

 

Angra do Heroísmo

Costuma-se dizer que quem anda pelo mundo costuma menosprezar a sua terra. Mas, justiça seja feita, a minha terra é linda e merece o destaque por aqui!

Efetivamente, Angra do Heroísmo, que já foi Portugal, quando o resto do país pertencia a Espanha, é Cidade Património Mundial da Humanidade pela forma como foi reconstruida após o enorme sismo que se fez sentir na ilha Terceira, em 1980 (era eu uma semente a germinar na barriga da minha mãe).

As ruas traçadas a régua e esquadro, bem como o casario colorido, fazem de cada rua um recanto especial - que, muitas vezes, vai até ao imenso azul do mar.

 

 

(À excepção das imagens de Marrocos, captadas por mim, todas as outras foram encontradas no Pinterest.)

 

Acompanhe também as novidades no Facebook e no Instagram (@monicalice).

1 comentário

Comentar post

Sigam-me

No facebook

Escrevam-me:

Captura de ecrã - 2016-02-17, 12.17.17.png

aminisaia@gmail.com

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2006
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D