Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

mini-saia

O blog de Mónica Lice.

02
Set15

Viajar (de avião) com bebés

Mónica Lice

Parte dos meus verões costumam ser passados na minha ilha. Podem não ser muitas semanas, mas passar por lá, rever a família, os amigos, o mar e aquela terra, que me viu nascer, é quase um ritual sagrado, do qual não gosto de abrir mão.

 

Neste verão, porém, dado o nascimento da baby, a ida aos Açores estava, obviamente, condicionada ao seu estado e ao aval da pediatra, que a seguiu nas primeiras semanas de vida.

 

Para muitas pessoas, podia parecer inconsciente submeter um bebé tão novinho a uma viagem de avião. Mas tinha confiança que tudo iria correr bem, até porque a baby está a crescer bem, já tinha saído muitas vezes de casa connosco, incluindo para ambientes fechados e com algumas pessoas, e desenvolvido, desta forma, as suas defesas, próprias da idade.

 

Foi, por isso, que nos fizemos ao "mar", o mesmo é dizer, apanhamos o avião, rumo aos Açores.

 

A viagem fez-se na TAP, que oferece tarifas especiais (e mais suaves) para bebés até 2 anos, que podem ir ao colo (a bebé deve ter já Cartão de Cidadão). Ou seja, na prática, a baby paga, mas segue a viagem toda no nosso colo - o que pode não ser a coisa mais confortável deste mundo. 

 

Em termos de segurança, é lhe colocado um mini cinto de segurança, que, por sua vez, se prende ao nosso cinto. É nos entregue também, antes do voo, um mini colete salva vidas.

 

Para além disso, os bebés têm direito a um volume de bagagem e podemos levar o carrinho (versão ovinho, no nosso caso) até às escadas do avião (não é contabilizado como bagagem).

 

Já me tinham aconselhado amamentar durante a descolagem e a aterragem, de forma a evitar desconfortos provocados pela pressão nos ouvidos da bebé. E, por isso, assim o fiz - com o avental da amamentação colocado, para um maior conforto de todos.

 

A verdade é que entre mama e o forte ruído provocado pelo avião, a L. dormiu a viagem praticamente a viagem toda, para ambos os sentidos. 

 

Portou-se que nem uma crescida, e veio dos Açores mais pesada e maior. Já se ri e palra connosco, como se quisesse falar.

 

Quase a completar 2 meses, já conheceu a terra que também é a dela, e a família que tanto a ama...

 

fotografia.JPG

 

Acompanhe também as novidades no Facebook e no Instagram (@monicalice).

6 comentários

Comentar post

Sigam-me

No facebook

Escrevam-me:

Captura de ecrã - 2016-02-17, 12.17.17.png

aminisaia@gmail.com

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D