Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

mini-saia

O blog de Mónica Lice.

18
Set17

Amamentação - dicas a ter em conta

Mónica Lice

nuk.jpg

 

Amamentar é, para mim, tão natural como mudar uma fralda ou dar banho - sempre foi assim, e ainda bem. Claro que não condeno nem teço qualquer juízo de valor em relação a quem não amamenta, por opção ou porque, simplesmente, não consegue.

 

Por muito que, para mim, seja algo absolutamente natural, que se faz sem teorizar, percebi, desde há muito, que, para muitas mulheres, há uma série de travões, sejam eles físicos ou psicológicos, a este gesto, tão natural.

 

Pessoalmente, tento não pensar, deixando que a natureza cumpra o seu dever (sempre em livre demanda, sem controlar horas ou minutos), e evitando qualquer tipo de stress que possa travar a produção de ocitocinas, que inibem a produção e saída do leite.

 

Antes de chegar a este ponto, confesso que li um pouco sobre o tema (os livros da Constança Ferreira foram fundamentais), para além de tudo o que aprendi no Curso de Preparação para o Parto no Centro do Bebé.

 

As vantagens do leite materno e da amamentação são imensas - nem vale a pena referi-las. Mas, aliadas a elas, há sempre alguns constrangimentos.

 

Um deles passa pela necessidade de ter sempre a bebé por perto - sobretudo na fase da amamentação exclusiva, em que não se alimenta com mais nada. Nesta fase, sair de casa sem ela é um desafio e, nestas alturas, vale-me a bomba de extração, que permite retirar o leite para, depois, ser o pai a dar-lhe.

 

Uma boa bomba de extração é, por isso mesmo, essencial para quem quer continuar a amamentar e tem que passar períodos mais ou menos longos fora de casa, longe do seu bebé. Neste campo, recomendo sempre bombas elétricas, preferencialmente com dois ritmos de extração - um que reproduz a estimulação, por sucção, que o bebé faz na maminha, antes mesmo do leite fluir, e, depois, e o outro que faz a fase da extração verdadeiramente dita, em que o leite é retirado.

 

A Luna da NUK é um bom exemplo deste género de bomba. A mesma permite controlar a velocidade de ambas as fases e tem a grande vantagem de funcionar com pilhas ou com eletricidade, o que facilita imenso o transporte e uso da bomba (para além de vir com vários adaptadores à corrente, que podem ser usados em diferentes países - bom para quem viaja muito).

 

Mas não é tudo! Uma vez extraído o leite, é importante usar um biberão que reproduza o modo como o leite sai da maminha da mãe. E isto porquê? Para que o bebé "não se habitue" a tetinas que fazem o leite fluir sem esforço e, depois, ao passar novamente para o peito, fique "preguiçoso", o que pode colocar seriamente em causa todo o processo da amamentação.

 

Assim, se amamenta e procura um biberão que não ponha em causa a amamentação do seu bebé, não escolha qualquer um. Escolha um específico para bebés que amamentam, como o Nature Sense da NUK, que se destaca por ter vários orifícios na tetina, que asseguram um fluxo de leite, de forma constante e natural, como acontece com o peito da mãe. Assim, o bebé, para conseguir beber, tem que fazer um esforço muito próximo do esforço que faz quando amamenta, levando também mais ou menos o mesmo tempo.

 

Para terem uma ideia, esta tetina está disponível em 2 tamanhos - dos 0 aos 6 meses (a que uso, neste momento) e dos 6 aos 18 meses, e possui ainda uma válvula anti-cólicas, para assegurar que o bebé não ingira ar enquanto bebe.

 

Escolhida a tetina e o biberão, um último conselho, em jeito de dica - a primeira vez que o usem, peçam para ser o pai ou outra pessoa a dá-lo, num dia em que não estejam em casa. Isto porque, se estiverem por perto, ainda que noutra divisão da casa, a criança sentirá o seu cheiro e pode mostrar alguma resistência ao biberão.

 

nuk1.jpg

 

nuk2.jpg

 

nuk3.jpg

 

Acompanhe também as novidades no Facebook e no Instagram (@monicalice).

07
Set17

Looks C&A back to school

Mónica Lice

Setembro é sinónimo de regresso às aulas. Entre mochilas, compras de livros e de material, há sempre que preparar o guarda-roupa para os dias mais frios do ano, percebendo o que ficou do ano anterior que ainda serve e o que é necessário adquirir.

 

Por cá, com a Laura a crescer, já não há nada do ano passado que sirva. Por isso mesmo, e pelo menos para ela (a Emília tem "herdado" várias peças da mana), há todo um novo guarda-roupa de outono-inverno a criar, com peças confortáveis e quentes, versáteis e, se possível, que não custem uma fortuna.

 

Aproveitando o facto de ter passado o fim-de-semana passado na nova C&A de Telheiras, na ação de Consultoria de Imagem que vos falei nas redes sociais, espreitei a coleção da marca para crianças e não resisti a trazer algumas peças para as minhas meninas.

 

A coleção está com peças com muita pinta, que aliam qualidade a preços acessíveis e que asseguram o regresso às aulas mais divertido (e confortável). E, para o provar, construí alguns looks completos, para elas e para eles, alguns dos quais abaixo dos €20.

 

Assinalei com um  as peças que adquiri para a Laura. E deu para perceber, nos três dias que estive na loja, que as peças mais giras esgotam com uma velocidade alucinante. Fica a dica e as sugestões de looks, para os príncipes e as princesas aí de casa...

Captura de ecrã - 2017-09-07, 10.19.56.png

Captura de ecrã - 2017-09-05, 17.21.12.png

Captura de ecrã - 2017-09-05, 17.42.34.png

Captura de ecrã - 2017-09-05, 17.55.51.png 

Acompanhe também as novidades no Facebook e no Instagram (@monicalice).

26
Jul17

Consumir menos e melhor

Mónica Lice

look.jpg

 

Na semana passada, recomendei por aqui um documentário de moda, que vale muito a pena ver: The True Cost.

 

Nele, várias questões, relacionadas com a confecção da roupa em países e fábricas pouco recomendáveis, são postas a nu, levando-nos a refletir sobre a forma como consumimos moda e, muitas vezes, nos perdemos em compras desnecessárias, contribuindo para esta "bola de tecido", que não pára de crescer e de aumentar, com todas as consequências que acabará por ter, em termos de pegada ambiental.

 

É, por isso, que, cada vez mais, um consumo consciente e sustentável deve ser o caminho a seguir. Podemos e devemos, não apenas comprar menos, como também comprar melhor, aproveitando boas oportunidades e recorrendo a peças de segunda mão, em lojas e sites da especialidade, como o OLX.

 

Por outro lado, é importante canalizar de forma consciente as peças que já não usamos ou que comprámos e nunca usamos sequer.

 

Vendê-las em sites como o OLX é, não apenas uma forma de ajudar o ambiente, como também uma excelente via de ganhar algum dinheiro extra (que podemos ou não canalizar para outras peças de roupa/acessórios que nos estejam a fazer falta). E, aqui, somos sempre nós que controlamos todo o processo de venda, definimos o preço e não ficámos dependentes de comissões ou do melhor ou pior desempenho de lojas e vendedores.

 

Pessoalmente, já vendi muitas coisas e comprei algumas. Quando me ponho em pesquisas, fico sempre abismada com a quantidade de peças que conseguimos encontrar online.

 

Se estão à procura de alguma ou algumas peças para este verão ou para as férias, espreitem a enorme variedade de roupa e acessórios que o OLX oferece: desde vestidos com muita pinta (muitos dos quais novos), até óculos de sol, malas, sabrinas e muitos relógios (entre muitas outras coisas).

 

E o melhor de tudo é que é muito fácil pesquisar e chegar aquilo que pretendemos, graças aos novos filtros do OLX na categoria de moda, que permitem escolhermos o estado da peça, a marca ou o tamanho. Ah, e para quem não quer perder tempo, a nova App OLX é muito fácil de usar, para além de ser gratuita, permitindo controlar, onde quer que nos encontremos, as nossas compras ou vendas.

 

Fica a dica, em jeito de sugestão: consuma, sim, mas de forma mais consciente e com uma menor pegada ambiental. O ambiente agradece e a sua carteira seguramente também!

 

Para quem é fã do OLX, vale a pena acompanhar o seu Instagram, aqui, e ficar a par de algumas das novidades que, a cada dia, vão sendo disponibilizadas na plataforma.

Acompanhe também as novidades no Facebook e no Instagram (@monicalice).

29
Jun17

Sandálias rasas (22 modelos para este verão)

Mónica Lice

Captura de ecrã - 2017-06-13, 16.36.05.png

 

Fãs de sandálias rasas? Eu sou e, nesta gravidez, tal como na outra, as Birkenstocks e estas Crocs não me têm saído dos pés.

 

Felizmente que os mesmos ainda não incharam muito, mas prefiro prevenir inchaços, com calçado confortável e massagens frequentes, antes de adormecer, do que depois andar a sofrer, com um valente desconforto nos pés e pernas.

 

Para quem, como eu, não dispensa este género de calçado, fiz uma seleção de 22 modelos, entre o preto e as cores mais fortes. Espreite a minha seleção e escolha as suas sandálias de eleição...

 

Captura de ecrã - 2017-06-13, 15.52.48.png

 

Acompanhe também as novidades no Facebook e no Instagram (@monicalice).

Sigam-me

No facebook

Escrevam-me:

Captura de ecrã - 2016-02-17, 12.17.17.png

aminisaia@gmail.com

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D