Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

mini-saia

O blog de Mónica Lice.

29
Jan16

Cosmética bio

Mónica Lice

Atualmente, já não é difícil encontrar produtos de beleza biológicos. No entanto, ainda é frequente pensarmos que estamos perante um produto 100% (ou quase 100%) natural, quando, na realidade, não é verdadeiramente bio.

 

Neste sentido, convém perceber que os produtos biológicos devem ser formados com, pelo menos, 95% cento de ingredientes naturais, resultantes de agricultura biológica, ou seja, de forma sustentável e sem o uso de pesticidas. Para além disso, não deverão implicar testes em animais e devem ser isentos de corantes, fragrâncias e conservantes artificiais, substâncias sintéticas ou geneticamente alteradas.

 

Quando existirem dúvidas, nada como olhar atentamente para as embalagens e perceber o que temos diante de nós. Preparadas? Então vamos a isso...

 

 

O New Charity Pot da Lush (uma loção de mãos e corpo, altamente hidratante e com uma textura rica e fundente) garante, na embalagem, ter sido feito com ingredientes frescos - e assinala aqueles que são provenientes do Fundo Lush Sustentável.

 

Todavia, encontramos nessa mesma composição ingredientes não tão naturais, como a glicerina, o ácido esteárico ou a trietanolamina. Estão lá todos, e a marca é bem clara nisso, fazendo questão de os assinalar, em letras bem fáceis de ler. Por isso, e não obstante os produtos frescos que compõem o creme, o mesmo não pode ser inserido no campo da bio cosmética (vale a pena ler este artigo, a este nível).

 

No campo capilar, destaque para a italiana Davines, que é conhecida pelas suas embalagens amigas do ambiente (que garantem um impacto zero) e pelos extratos vegetais, que compõem as fórmulas dos seus produtos. 

 

Olhando para o MINU Hair Serum (uma novidade para cabelos pintados, concebida para proteger e enaltecer a cor), o mesmo é composto por extrato de flores de alcaparra e é um produto sem parabenos (a própria embalagem o diz, para que não subsistam dúvidas).

 

Assim, e não obstante não ser um produto bio, tem na sua composição ingredientes de origem natural (aos quais se juntam outros, não tão naturais, mas também descriminados na lateral da embalagem).

 

Com a Dr.Organic (disponível em lojas como o Celeiro ou o novo Biomercado) é tudo mais simples - a marca e os seus produtos assinalam sempre a ausência de parabenos, SLS, cores e fragrâncias artificiais e ingredientes conservantes nocivos.

 

Este óleo - o Organic Moroccan Argan Oil, para banho e massagem - é formado por ingredientes orgânicos e naturais e, por isso mesmo, vem numa embalagem de vidro (a única capaz de manter os óleos essenciais inalterados - há que desconfiar sempre de óleos em embalagens de plástico). O frasco não tem selo do ECOCERT (de que falo abaixo), mas apresenta um selo Bio Activ, que testa o uso de extratos orgânicos e naturais

 

Ainda no campo dos produtos para o corpo, destaque para uma marca que acaba de chegar à Organii. A francesa Absolution destaca-se por aliar cosmética bio com qualidade premium, a embalagens de design, não comprometendo os resultados.

 

Este creme de corpo, Le Soins de Corp, é um hidratante anti-idade, que hidrata, nutre e reestrutura a pele. Possui, na sua formulação, ingredientes como o sésamo, a maçã e o baobad e, na própria embalagem, percebemos que é 99% de origem natural e 52% bio. Para além disso, tem o selo do ECOCERT (uma das Instituições mais importantes ao nível da concessão de certificados orgânicos aos produtos de beleza).

 

Termino esta ronda pelas embalagens e pelos rótulos, com um sérum da REN. Trata-se do Radiance Perfection Sérum, um produto formulado para energizar a pele e a aperfeiçoar.

 

Como todos os produtos da marca, este sérum não possui parabenos, sulfatos, óleos minerais, petróleos, fragrâncias ou corantes sintéticos, entre outros ingredientes, menos "naturais". E tudo isso vem descriminado na própria cartonagem da embalagem, que assinala ainda quais os bio extratos que o compõem.

 

Posto isto, e em jeito de reflexão, é importante perceber o que temos diante de nós, mas sem extremismos. O mundo da cosmética está em constante evolução e acredito que há muitos bons cremes, que garantem bons resultados, com ingredientes naturais, da mesma forma que os há com ingredientes já não completamente naturais, mas nem por isso nocivos ou perigosos.

 

Com as regras apertadas que temos na Europa, só os produtos de melhor qualidade conseguem chegar legalmente ao mercado e ser comercializados. Isso não quer dizer que não devemos procurar produtos naturais e ser adeptos de cosmética bio, mas, sim, ter confiança naquilo que chega ao mercado, seja realmente bio ou não.

 

Acompanhe também as novidades no Facebook e no Instagram (@monicalice).

17 comentários

Comentar post

Sigam-me

No facebook

Escrevam-me:

Captura de ecrã - 2016-02-17, 12.17.17.png

aminisaia@gmail.com

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D