Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

mini-saia

O blog de Mónica Lice.

03
Jan18

Açores

Mónica Lice

IMG_5240.JPG

 

Já estamos em casa. Entre viagem aos Açores e viagem ao norte do país, os últimos dias foram agitados, com muitas malas feitas e desfeitas, muitos sorrisos, afetos, abraços e bolos (ui, muitos bolos, mesmo).

 

Nos Açores, o clima deu tréguas e presenteou-nos com dias de temperaturas amenas, sol e pouca chuva (à excepção do dia do regresso, em que a ventania me fez questionar se o avião voaria ou não - o que acabou por acontecer com pouca turbulência).

 

Os dias foram passados quase sempre em casa, mas, num dos passeios que fizemos, registamos a foto acima - eu, sem maquilhagem, com os óculos (ligeiramente sujos, por sinal), mas de sorriso aberto, a fazer "macacadas", para ver se a Laura alinhava e pousava para a foto - o que não aconteceu.

 

Estávamos no interior da ilha, junto à Lagoa do Negro e à Gruta do Natal. A Lagoa está mais pequena do que a imagem que guardo das memórias da minha infância, mas a paisagem continua linda e a merecer a visita.

 

Numa das vezes que lá fui, bem novinha, lembro-me que fomos em família, fazer um piquenique. E eu, curiosa como sempre fui, decidi caminhar até à água. Porém, as margens estavam cheias de lama e eu, sem que me desse conta, em poucos segundos, fiquei enterrada até à cintura, só tendo tempo de me sentir puxada por meu pai, que estava por perto...

 

Desde então, passei a apreciar lagoas à distância, e nunca mais me aproximei muito, nem desta, nem de outras.

 

Memórias à parte, deixo-vos com uma das versões da lenda que serve de mote ao nome da Lagoa e que, verdadeira ou não, não deixa de ter o seu quê de romântico:

 

Havia uma família cuja filha se perdeu de amores por um dos seus trabalhadores, escravo por sinal. O pai, sabendo da paixão da filha, proibiu a relação e mandou que apanhassem o escravo. Ele, porém, decidiu fugir, refugiando-se na mata, onde chorou vários dias, pela sua amada. E foram essas lágrimas que deram origem à Lagoa, que ainda hoje se mantém, no interior da ilha.

 

Acompanhe também as novidades no Facebook e no Instagram (@monicalice).

1 comentário

Comentar post

Sigam-me

No facebook

Escrevam-me:

Captura de ecrã - 2016-02-17, 12.17.17.png

aminisaia@gmail.com

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2006
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D